8 fatos sobre puerpério

8 coisas que você precisa saber sobre o puerpério

Ao engravidar, o corpo de uma mulher passa por uma série de transformações hormonais e físicas. Afinal, é preciso estar preparado para que o bebê que está no útero possa se desenvolver da melhor maneira.

Depois do parto, começa uma nova fase, que costuma ser cercada de muita alegria e muitas expectativas, mas também de novas mudanças: é o puerpério, também conhecido como resguardo ou quarentena.

Esse período, que acontece de formas diferentes para cada mulher, costuma ser cercado de desafios.

Confira algumas informações importantes sobre o puerpério:

1. O aspecto emocional é o mais complicado

Além dos cuidados para lidar com o filho que acaba de chegar, será preciso enfrentar também questões emocionais, ocasionadas principalmente pela queda de algumas taxas hormonais.

É comum ter alguma insegurança, ficar mais frágil em alguns momentos, mas, em casos mais extremos, essa queda nos hormônios pode levar a quadros de depressão pós-parto.

O ideal é ter sempre acompanhamento médico e, se necessário, recorrer ao acompanhamento psicológico.

2. Também pode gerar mudanças físicas

Muito se fala nas questões emocionais relacionadas ao período do puerpério, mas há também algumas mudanças físicas que podem acontecer no corpo das mulheres, como:

  1. Endurecimento dos seios (principalmente por estarem cheios de leite);
  2. Inchaço na barriga (porque o útero ainda não voltou ao tamanho normal).

São situações passageiras e que tendem a melhorar com o tempo.

 3. A amamentação é uma aliada

O aleitamento materno, além de ser extremamente importante para a nutrição e a saúde do bebê, também auxilia da mulher no puerpério, pois libera hormônios que agem de forma positiva no corpo, ajudando a recuperar características que tinha antes da gravidez.

O ideal é manter a livre demanda, oferecendo o leite sempre que o bebê desejar.

4. A duração do puerpério varia

Não há uma duração exata, podendo ser um período maior ou menor, dependendo de cada mulher. Portanto, não adianta – e nem é recomendável – se comparar com outras mães, já que os organismos funcionam de forma diferente.

Em geral, o puerpério dura no mínimo 45 dias, contando a partir da data do parto. Em muitos casos pode chegar de 6 a 24 meses.

5. Pode ocorrer sangramento vaginal

Depois do parto, o útero começa a ter algumas secreções, o que faz com que haja um sangramento semelhante à menstruação. Não é preciso se preocupar, pois é algo normal, especialmente nos primeiros dias, quando é mais intenso.

Mas é importante ter atenção à cor e ao odor: mau cheiro e tonalidade muito forte de vermelho por muitos dias pode ser sinal de algum problema. Se notar essas características, procure o seu médico.

O natural é que depois de alguns dias o sangramento vá diminuindo e pare, até que aconteça a primeira ovulação, seguida da menstruação, que marca o fim do puerpério no corpo físico.

6. É preciso ter um tempo para você

Também é essencial ter alguns momentos de descanso, já que as noites mal dormidas podem ser um fator intensificador do estresse e da ansiedade. Mesmo que não consiga dormir durante o dia, tenha um tempo só seu, para não fazer nada.

E, se possível, tenha uma rede de apoio, seja o parceiro, familiares ou amigos próximos, que possam te auxiliar nos cuidados iniciais – tanto com o bebê como com a casa e outras tarefas – para que você não fique sobrecarregada.

 7. Alimentação e hidratação são essenciais

Além de entender as principais características deste período, é importante lembrar-se sempre dos cuidados no dia a dia, como:

  • Beber muita água;
  • Manter uma alimentação saudável e equilibrada;
  • Tomar os poli vitamínicos prescritos pelo seu médico para ajudar a garantir boas condições ao organismo até que ele esteja totalmente recuperado.

8. É importante manter as consultas médicas em dia

Independentemente de notar ou não alguma situação diferente durante o puerpério, é essencial que toda mulher mantenha as consultas de rotina em dia.

A orientação é que a primeira seja feita em seis semanas depois do nascimento do bebê. Essa consulta é fundamental para que o médico possa avaliar a presença de infecções, conferir a cicatrização do útero, além de outros aspectos que possam merecer uma atenção especial.

Não tenha receio de pedir ajuda sempre que sentir necessidade!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn